material de teflon

Teflon: composição, aplicações, tipos e fórmula

O Teflon é o nome do polímero Politetrafluoretileno, a sigla PTFE ajuda na identificação deste composto.

O PTFE surgiu com Roy Plunkett, curioso cientista, no ano de 1938, enquanto realizava experimentos com gás tetrafluoretileno. Surpreendido com o que viera a seguir, o cientista testemunhou o aparecimento de um pó branco no recipiente que continha o gás.

Algum tempo regado de estudos, concluiu que se tratava de um polímero formado por uma cadeia de 100.000 átomos de carbono ligados a 2 átomos de flúor, ou seja, o Teflon.

O que é teflon?

O teflon, bastante conhecido no mercado, sendo alvo inclusive de canais no youtube referentes ao meio doméstico e aos interessados em produtos de cozinha, é um polímero de adição conhecido especialmente por ser usado como revestimento de utensílios, tais como panelas e, principalmente, frigideiras antiaderentes. Ele é usado com essa finalidade, pois possui alta resistência ao calor e baixa aderência, assim há menos riscos de o alimento ficar grudado no fundo da panela, permitindo maior controle quanto à finalidade, dispensando maiores probabilidades de erros.

material de teflon

Outras características do teflon são: Boa resistência mecânica, baixo coeficiente de atrito e bom isolante de eletricidade. Não é combustível, ou seja, maiores riscos são descartados por conta da própria qualidade do produto, sendo muito resistente aos reagentes químicos mais poderosos, como a água-régia. Todo cozinheiro sabe que o Teflon é um revestimento resistente empregado para cobrir utensílios domésticos, como panelas e frigideiras. O que nem todos sabem é sobre a origem e composição deste material.

Composição do teflon

O material comercialmente conhecido por Teflon corresponde ao polímero conhecido por politetrafluoretileno (PTFE), como falado no tópico anterior, o qual se enquadra no grupo dos fluorpolímeros.

Quanto a sua composição, podemos falar o que já foi delineado até então: O PTFE (Teflon) é um flúorpolímero, e o flúor, assim como outros elementos da coluna dos halogênios, possui a propriedade característica de retardar o fogo. Mas o fato de não propagar fogo é apenas uma das excelentes características deste material. O PTFE surgiu em meio aos experimentos do químico Roy Plunkett, no ano de 1938, enquanto realizava experimentos com gás tetrafluoretileno.

O cientista foi surpreendido com o aparecimento de um pó branco no recipiente que continha o gás, e, após estudos, concluiu que se tratava de um polímero formado por uma cadeia de 100.000 átomos de carbono ligados a 2 átomos de flúor, ou seja, Teflon.

Aplicações do teflon

A aplicações são as mais diversas: Cobertura de estádio, revestimento de frigideira, componentes em graxas, piercing, revestimento de tubulação, válvulas, tubos que substituem veias humanas, entre outros.

Tipos de teflon

Apenas para listar alguns:

PTFE / Carbono

Excelente comportamento de compressão e resistência ao desgaste. Boa condutividade térmica e baixa permeabilidade. É uma das cargas mais inertes, exceto em meios ácidos, onde a fibra de vidro se comporta melhor. Por causa de seu conteúdo de carbono,  ele se torna antiestático.

Este aditivo é adicionado numa percentagem que varia entre 10 a 35% acompanhada por uma menor percentagem de grafite. O carbono também melhora em um grau considerável a resistência ao desgaste e a deformação por carga, aumenta a condutividade térmica e deixa a resistência química praticamente inalterada; mas as propriedades elétricas são substancialmente modificadas.

PTFE / Fibra De Vidro

Melhora a resistência à compressão e desgaste, melhora a resistência ao atrito de PTFE em alta e baixa temperatura. Excelente estabilidade química. Tem melhor condutividade térmica e coeficiente de atrito quando combinado com dissulfeto de molibdênio ou grafite.

fibras de vidro materiais
Fibras de vidro

PTFE / Dissulfeto de molibdênio

Baixo coeficiente de atrito (estático), boa condutividade térmica, resistente ao desgaste. Tem pouco efeito sobre suas características elétricas. Não é muito reativo aos produtos químicos. O dissulfeto de molibdênio reduz o coeficiente de atrito e às vezes é mais preferido que o grafite. Alguns metais (aço inoxidável, níquel, titânio), considerados por sua resistência química particular, são usados ​​como cargas de PTFE,  embora, comparados com o bronze, sejam menos resistentes ao desgaste.

PTFE/ Grafite

Permite uma boa condutividade térmica, de modo que o grafite tem um baixo coeficiente de atrito e uma baixa permeabilidade. A mistura de PTFE e grafite oferece excelente resistência ao desgaste, especialmente com metais macios.

Grafite tem boa resistência química e em ambientes corrosivos, para utilização em aplicações de vapor de água e secagem, o PTFE é misturado com grafite para se obter estas características. Em suma, PTFE com grafite permite um melhor desempenho do material.

A porcentagem de grafite utilizada varia entre 5 e 15%. Grafite reduz o coeficiente de atrito, portanto, o PTFE / grafite é frequentemente adicionado junto com outros tipos de aditivos para melhorar essa característica. O agregado de grafite melhora a característica de deformação por carga e, em menor grau, as propriedades anti-desgaste.

Fórmula do teflon

Respondo tal tópico de maneira simplista, a fórmula química do monômero, o tetrafluoretileno, é 2FC=CF2, e o polímero -(2FC-CF2)n-.

Devido às suas propriedades, o PTFE é usado em uma ampla variedade de aplicações. Algumas de suas propriedades podem ser melhoradas ou modificadas pela adição de aditivos. Aditivos contendo PTFE é comumente chamado de PTFE com enchimentos. Os aditivos mais utilizados (os expostos no tópico anterior) são: fibra de vidro, carbono, bronze ou grafite.

Vale dizer que estes formam uma combinação íntima com o PTFE. Outros aditivos são: dissulfeto de molibdênio, cerâmicas, óxidos metálicos e, claro, não podemos nos esquecer de possíveis combinações de dois ou mais aditivos… Vale ressaltar ao menos a possibilidade, contudo, a progressão de tal assunto acabaria por fugir da proposta inicial.