placas eps

EPS: formatos, o que é?

EPS é a sigla internacional do material nomeado cientificamente como Poliestireno Expandido. No entanto, aqui no Brasil, esse material ficou conhecido como Isopor, que na verdade é uma marca registrada de uma empresa alemã. Enfim, mesmo com a confusão dos nomes, é inegável que esse material tem diversas aplicações e é extremamente útil para os seres humanos.

Sabendo disso, este post tratará de apresentar o EPS em maiores detalhes. Com isso, você ficará conhecendo as curiosidades, a origem do material e algumas das suas principais aplicações…

O que é a EPS?

O EPS foi descoberto em 1949, por cientistas alemães. O material é classificado como um Poliestireno Expandido. Isto é, pode-se dizer que o EPS é uma espécie de plástico celular bastante rígido. Desde a sua criação, o EPS chamou a atenção por apresentar características muito interessantes como:

  • Capacidade de reciclagem infinita;
  • Ação perfeita como isolante térmico;
  • Leveza;
  • Resistência ao tempo;
  • Facilidade de ser manipulado;
  • Facilidade de ser formatado;
  • Resistência à umidade.
laje de eps
Foto: Mapa da Obra

Por essas e outras características, o material passou a ser utilizado de forma massiva e os países mais desenvolvidos aproveitaram suas características para gerar diversas construções, tão econômicas quanto ecológicas.

Composição química do EPS

Falando em química, o processo de criação do EPS é bem interessante. O material é um plástico celular rígido que surge com a polimerização do estireno em água. O produto final se assemelha a diversas pérolas, que se expandem de uma forma assustadora, podendo alcançar 50 vezes o tamanho original.

Essas pérolas são compostas de 98% de ar e 2% de poliestireno. No fim, o material gerado não contamina o solo, pode ser revertido à condição de matéria-prima e pode ser reciclado infinitamente.

EPS na construção civil

Desde que os conceitos de sustentabilidade passaram a ser difundidos ao redor do globo, o EPS passou a ganhar uma atenção especial no setor da construção civil. Devido à sua alta resistência, suas características isolantes e, claro, seu potencial ecológico, o material passou a ser usado em estruturas de grande porte, como estradas e pontes e também em residências familiares.

placas eps
Foto: DeExpo

A facilidade no manuseio do material acabou fazendo com que ele se tornasse uma das principais opções em muitos processos produtivos. Preenchimento de rebaixo ou espaços vazios, lajes pré-moldadas, painéis e aterros são algumas das principais utilizações do EPS na construção civil.

Onde usar o EPS e para que serve?

Não é só na construção civil que o EPS pode ser aplicado com eficiência. Um uso muito comum é para a proteção de eletrodomésticos e produtos eletrônicos. Qualquer produto novo vem com um caixa recheada de protetores feitos com o material.

Além disso, o material também é utilizado massivamente em peças de artesanato. Por ser um elemento neutro, leve e de fácil manuseio, o EPS é utilizado como base para moldar diversas peças de EVA, biscuit e outros materiais muito populares entre os artesãos. Aliás, a decoração com peças de EPS tem ganhado força nos últimos anos.

E mais, não se pode deixar de citar o potencial de isolamento térmico que o material tem. Não à toa, o EPS é muito utilizado para o armazenamento de alimentos. Nas praias do Brasil, a presença do famoso Isopor com gelo é marcante.

Formatos do EPS

Para encerrar, é sempre bom lembrar que o EPS pode se apresentar de diversas formas. Seja em suas partículas mínimas, conhecidas como pérolas (as bolinhas de isopor), em placas, em caixas e nos blocos S-Pack (utilizados na proteção do produtos), o EPS é extremamente útil.

Portanto, o EPS, muito conhecido no Brasil como Isopor, é um material revolucionário que pode ser aplicado de forma eficiente em muitos setores. Por suas características especiais, o material é um dos mais interessantes, dentro das ideias de sustentabilidade. Agora que você sabe mais sobre o material, poderá aplicá-lo com maior confiança.